Notícias sobre logística

Bolsonaro discute armas e radares em almoço com caminhoneiros

Bolsonaro almoçou com caminhoneiros em um restaurante de beira de estrada em Anápolis (GO). O presidente estava com sua equipe e conversou com cerca de 30 caminhoneiros sobre diversos temas, incluindo o porte de armas e os radares móveis.

No encontro do dia 31/05 (sexta) estavam:

  • Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM);
  • Ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Fretas;
  • Líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL);
  • Porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo de Barros.

O almoço com caminhoneiros fez parte da agenda do presidente em Goiás, onde encontrou representantes do governo local e participou de um culto na Assembleia de Deus.

Porte de arma de fogo

Bolsonaro começou o tema questionando para alguns caminhoneiros na sua mesa quantos eram favoráveis à medida. Três levantaram a mão e então o presidente aponta: “No decreto, eu acabei com a comprovação da efetiva necessidade. Por enquanto, está um pouco caro ainda, mas vamos diminuir isso aí. Mas já abriu as portas, dá entrada… Tem um tempo de dois ou três meses para conceder o porte. Eu coloquei lá como profissão de risco (caminhoneiros). Quanto mais arma, mais segurança. Se tiver arma de fogo, é para usar."

Radares móveis

Bolsonaro disse que iria acabar com os radares móveis, “para dar uma folga para o policial rodoviário”. Ele atesta ainda que deseja aumentar a validade da carteira de motorista para 10 anos e aumentar o limite de pontos para 40.

Assista vídeo com trecho do almoço

Pela manhã cumprimos agenda em Goiânia-GO. Pausa para almoço ao lado do Governador Ronaldo Caiado, do Min. da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, do Porta-Voz da presidência, Rêgo Barros, e colegas caminhoneiros, trabalhadores fundamentais para o funcionamento do Brasil.

O almoço custou R$ 1.694,00 e foi custeado pela Secretaria de Administração da Presidência da República. "Foi aleatória (a ida para o restaurante). Foi feito levantamento de ontem para hoje de onde teria mais caminhões neste horário, eu estava vindo de Goiânia e paramos aqui para conversar com os caminhoneiros”, explicou o Bolsonaro sobre o encontro.

Fontes: EXAME, Estadão.

ESCRITO POR